Terapias para Autismo: Quais abordagens são mais eficazes?

Dra. Fernanda Tomaz
Dra. Fernanda Tomaz

Psiquiatra infantil CRM 004642/SP

Tipos de terapias para autismo

Existem várias abordagens terapêuticas disponíveis para auxiliar no desenvolvimento e no bem-estar de indivíduos com autismo. Algumas das terapias mais comuns incluem a ABA (Análise do Comportamento Aplicada), a Terapia Ocupacional, a Terapia da Fala, a Musicoterapia e a Terapia Assistida por Animais. Mas afinal, quais dessas abordagens são as mais eficazes? Vamos analisar cada uma delas mais de perto.

ABA (Análise do Comportamento Aplicada)

A ABA é uma abordagem baseada em evidências que se concentra em reforçar comportamentos positivos e reduzir comportamentos problemáticos. Essa terapia é altamente estruturada e individualizada, permitindo uma progressão gradual e consistente no aprendizado de novas habilidades. Um exemplo prático de como a ABA pode ser eficaz é o seguinte: ao reforçar um autista por manter contato visual, é possível encorajar a comunicação e a interação social.

Terapia Ocupacional

A Terapia Ocupacional visa ajudar os indivíduos com autismo a desenvolver habilidades motoras, sensoriais e de autocuidado. Através de atividades práticas e adaptadas, como brincadeiras com texturas e movimentos, essa terapia pode melhorar a coordenação motora e a auto regulação. Por exemplo, ao utilizar uma prancha de escrita adaptada, um autista pode aprimorar sua coordenação motora fina e habilidades de escrita.

Terapia da Fala

A Terapia da Fala é projetada para melhorar a comunicação verbal e não verbal, bem como as habilidades sociais e de linguagem. Com exercícios específicos de pronúncia, compreensão e interação, essa terapia pode ajudar os autistas a se expressarem e se relacionarem com os outros de forma mais eficaz. Por exemplo, ao praticar jogos de perguntas e respostas, um autista pode melhorar sua capacidade de diálogo e interação.

Musicoterapia

A Musicoterapia utiliza a música como ferramenta terapêutica para promover a expressão emocional, a interação social e o desenvolvimento cognitivo. Através do uso de instrumentos musicais, canções e ritmos, os autistas podem explorar e comunicar seus sentimentos de maneira não verbal. Um exemplo prático é a utilização de tambores em uma sessão de musicoterapia para incentivar a expressão emocional e a coordenação motora.

Terapia Assistida por Animais

A Terapia Assistida por Animais envolve a interação entre um indivíduo com autismo e um animal treinado, como um cão ou um cavalo, para promover o bem-estar emocional e físico. A presença de um animal pode ajudar a reduzir o estresse, melhorar a comunicação e incentivar a conexão emocional. Por exemplo, passear com um cão terapêutico pode proporcionar estímulos sensoriais positivos e promover a interação social.

Ao explorar essas diversas abordagens terapêuticas para autismo, é importante lembrar que cada indivíduo é único e pode se beneficiar de diferentes combinações de terapias. Ter um guia confiável e abrangente, como o livro “Caminhos do Autismo”, pode ser fundamental para compreender e saber como se relacionar melhor com autistas, bem como para encontrar as abordagens mais eficazes e personalizadas para cada caso.

Veja também