O processo de diagnóstico do autismo: o que esperar e como se preparar

Dra. Fernanda Tomaz
Dra. Fernanda Tomaz

Psiquiatra infantil CRM 004642/SP

O que é o autismo?

O autismo é um transtorno neurológico que afeta a forma como uma pessoa se comunica e interage com o mundo ao seu redor. É uma condição que afeta o desenvolvimento das habilidades sociais, linguísticas e comportamentais.

Existem diversos sinais e sintomas que podem indicar a presença do autismo, como dificuldades na comunicação verbal e não verbal, padrões repetitivos de comportamento, dificuldades sensoriais e problemas na interação social.

A importância do diagnóstico precoce

O diagnóstico precoce do autismo é fundamental, pois quanto antes a condição é identificada, mais cedo as intervenções e terapias podem ser iniciadas. Isso pode fazer toda a diferença no desenvolvimento da criança, permitindo que ela alcance seu máximo potencial.

Por isso, é importante estar atento aos sinais de alerta e buscar ajuda especializada o quanto antes. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, mais cedo a criança poderá receber o suporte necessário para se desenvolver da melhor maneira possível.

Quando procurar um especialista?

Se você observar sinais de autismo no seu filho ou em outra pessoa próxima, é importante buscar a avaliação de um especialista. O ideal é procurar um médico especializado em autismo, como um neuropediatra ou um psiquiatra infantil.

O especialista realizará uma avaliação detalhada, que inclui a observação do comportamento da criança, entrevistas com os pais e, se necessário, aplicação de testes psicológicos. Com base nessas informações, o médico poderá fazer o diagnóstico de autismo.

O que esperar durante o processo de diagnóstico?

O processo de diagnóstico do autismo pode variar dependendo do especialista e da idade da pessoa que está sendo avaliada. No geral, espera-se que durante o processo de diagnóstico ocorram as seguintes etapas:

Avaliação inicial

A primeira etapa do processo de diagnóstico é a avaliação inicial, na qual o médico irá reunir informações sobre o histórico do paciente, observar o comportamento da criança e conversar com os pais para entender melhor o quadro clínico.

Perguntas sobre o desenvolvimento da criança, habilidades sociais, linguagem, comportamento e interações no ambiente escolar são comuns nessa etapa. É importante fornecer informações detalhadas e precisas para ajudar o médico a fazer um diagnóstico correto.

Observação e testes

Após a avaliação inicial, o médico poderá solicitar a observação do comportamento da criança em diferentes ambientes, como em casa e na escola. Além disso, poderão ser aplicados testes específicos para avaliar as habilidades cognitivas, sociais e de comunicação.

Esses testes podem envolver brincadeiras estruturadas, interações sociais e tarefas específicas para verificar o nível de desenvolvimento da criança. Essa etapa é essencial para avaliar o grau de comprometimento em áreas específicas e auxiliar no diagnóstico.

Diagnóstico e orientações

Após a coleta de todas as informações necessárias, o médico será capaz de fazer o diagnóstico do autismo. É importante lembrar que o diagnóstico de autismo não é uma sentença, mas sim um ponto de partida para que a família busque as intervenções adequadas.

A partir do diagnóstico, o médico poderá orientar a família sobre as melhores opções de tratamento, terapias e suporte necessários para ajudar a criança a desenvolver suas habilidades sociais, comunicativas e comportamentais da melhor maneira possível.

Como se preparar para o processo de diagnóstico?

O processo de diagnóstico do autismo pode ser emocionalmente desafiador para a família. É importante se preparar emocionalmente e buscar apoio durante esse período. Além disso, algumas dicas podem ajudar nesse processo:

Busque informações confiáveis

Procure se informar sobre o autismo através de fontes confiáveis, como livros, artigos científicos e guias especializados. O livro “Caminhos do Autismo” é um ótimo guia que oferece informações atualizadas e práticas sobre o autismo, ajudando a compreender e a se relacionar melhor com autistas.

Esse tipo de material pode fornecer uma base sólida de conhecimento, ajudando a família a entender melhor o autismo e a lidar com os desafios relacionados à condição.

Anote suas preocupações e perguntas

Antes da consulta, anote todas as suas preocupações e perguntas relacionadas aos sintomas, desenvolvimento e diagnóstico de autismo. Isso ajudará a garantir que você não esqueça de discutir nenhum ponto importante com o médico especialista.

Perguntas como “Quais são as opções de tratamento disponíveis?” ou “Quais terapias são recomendadas para o meu filho?” podem ser feitas durante a consulta, para obter informações específicas e orientações adequadas.

Cuide de si mesmo e da família

O processo de diagnóstico pode ser cansativo e estressante. Lembre-se de cuidar de si mesmo e da família durante esse período. Busque apoio de amigos, familiares ou grupos de apoio para compartilhar suas preocupações e emoções.

Também é importante cuidar da saúde mental e física, praticando atividades que proporcionem bem-estar e relaxamento. Se necessário, busque o suporte de profissionais especializados em saúde mental para ajudar a lidar com as demandas emocionais.

Conclusão

O processo de diagnóstico do autismo pode ser desafiador, mas é uma etapa importante para que a criança receba as intervenções e terapias necessárias para seu desenvolvimento. Buscar um especialista em autismo, estar atento aos sinais de alerta e se preparar emocionalmente e informacionalmente são fundamentais nesse processo.

Lembre-se de que cada caso é único e o diagnóstico de autismo não deve ser encarado como uma limitação, mas sim como uma oportunidade para buscar suporte e orientações para ajudar a criança a alcançar seu máximo potencial.

Veja também