O Papel da Família no Suporte ao Autista: Como podemos ajudar?

Dra. Fernanda Tomaz
Dra. Fernanda Tomaz

Psiquiatra infantil CRM 004642/SP

Importância da Família no Suporte ao Autista

A família desempenha um papel fundamental no suporte ao autista. Seus cuidados e apoio são essenciais para o desenvolvimento e bem-estar do indivíduo. Mas como podemos realmente ajudar de forma eficaz? Como podemos nos tornar um suporte sólido e acolhedor para nossos familiares autistas?

Empatia e Compreensão

É crucial que a família demonstre empatia e compreensão em relação ao autista. Entender as limitações e necessidades específicas do indivíduo é o primeiro passo para oferecer suporte adequado. A empatia nos permite enxergar o mundo sob a ótica do autista, facilitando a comunicação e a conexão emocional.

Por exemplo, ao invés de forçar o autista a participar de atividades sociais que o deixam desconfortável, podemos oferecer opções mais adequadas às suas preferências e interesses. Isso demonstra respeito pela individualidade do autista e fortalece o vínculo familiar.

Buscar Conhecimento e Informação

Uma forma eficaz de apoiar um autista na família é buscar conhecimento e informação sobre o espectro do autismo. Conhecer as características, necessidades e desafios comuns aos autistas ajuda a criar um ambiente mais acolhedor e inclusivo.

Nesse sentido, um ótimo guia para compreender e se relacionar melhor com autistas é o livro “Caminhos do Autismo”. Esse recurso pode fornecer insights valiosos e estratégias práticas para lidar com situações do dia a dia de maneira mais positiva e eficaz.

Estabelecer Rotinas e Estruturas

Autistas muitas vezes se beneficiam de rotina e estrutura em suas vidas. A família pode ajudar nesse aspecto criando um ambiente previsível e organizado, que proporcione segurança e conforto ao autista.

Por exemplo, estabelecer horários fixos para refeições, atividades e momentos de lazer pode ajudar o autista a se sentir mais tranquilo e no controle do seu ambiente. Essa previsibilidade pode reduzir a ansiedade e aumentar a sensação de segurança do autista.

Estimular a Comunicação e a Interatividade

A comunicação pode ser um desafio para muitos autistas, mas a família pode desempenhar um papel crucial nesse aspecto. Estimular a comunicação e a interatividade de maneira positiva e respeitosa pode ajudar o autista a desenvolver suas habilidades sociais e emocionais.

Por exemplo, utilizar ferramentas de comunicação visual, como pictogramas ou pranchas de comunicação, pode facilitar a expressão de ideias e sentimentos do autista. Além disso, incentivar a prática de habilidades sociais, como turn taking em jogos de tabuleiro, pode promover a interação social de forma divertida e significativa.

Veja também