Autismo leve: características, desafios e estratégias de suporte

Dra. Fernanda Tomaz
Dra. Fernanda Tomaz

Psiquiatra infantil CRM 004642/SP

Autismo leve: características

Como médica especialista em autismo, uma das questões mais frequentes que recebo é sobre o autismo leve e suas características. O autismo leve, também conhecido como Transtorno do Espectro Autista (TEA) de alto funcionamento, é uma forma de autismo em que a pessoa apresenta um grau menos significativo de comprometimento nas habilidades sociais e de comunicação.

As principais características do autismo leve incluem dificuldade na interação social, padrões restritos e repetitivos de comportamento e interesses, além de sensibilidades sensoriais. Embora cada pessoa com autismo leve seja única, existem algumas características comuns que podem ser observadas:

Dificuldade na interação social

Uma das características mais marcantes do autismo leve é a dificuldade na interação social. Pessoas com autismo leve podem ter dificuldade em iniciar e manter conversas, compreender expressões faciais e linguagem corporal, e interpretar nuances sociais, como ironia e sarcasmo. Isso pode levar a dificuldades na formação de amizades e relacionamentos interpessoais.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode não entender por que alguém está chateado se essa pessoa não expressar isso de forma direta. Essa dificuldade na leitura de emoções pode levar a mal-entendidos e dificuldades na interação social.

Padrões restritos e repetitivos de comportamento e interesses

Outra característica comum do autismo leve são os padrões restritos e repetitivos de comportamento e interesses. Isso pode incluir fixações em determinados assuntos ou atividades, manias e rituais, e rigidez na rotina. Esses padrões podem trazer conforto e segurança para a pessoa com autismo leve, mas também podem limitar suas experiências e interações sociais.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode ter uma fixação em carros e passar horas estudando modelos e marcas diferentes. Embora essa paixão possa ser intensa e trazer muitos benefícios, como conhecimento detalhado sobre o assunto, pode também dificultar a diversificação de interesses e a exploração de novas experiências.

Sensibilidades sensoriais

As sensibilidades sensoriais são outra característica comum do autismo leve. Pessoas com autismo leve podem ser hipersensíveis ou hipossensíveis a estímulos sensoriais, como luz, som, cheiro, texturas e sabores. Isso significa que podem ser extremamente sensíveis a ruídos altos, como sirenes de ambulâncias, ou podem ter dificuldade em lidar com certos cheiros ou texturas.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode evitar lugares barulhentos, como restaurantes cheios, devido à sensibilidade auditiva. Essa sensibilidade pode ser tão intensa que a pessoa sente dor ou desconforto, o que pode impactar significativamente sua qualidade de vida e sua capacidade de participar de determinadas atividades sociais.

Desafios do autismo leve

Ao compreender as características do autismo leve, podemos identificar também os desafios enfrentados por pessoas com esse diagnóstico:

Desafios na educação e no trabalho

Muitas vezes, pessoas com autismo leve enfrentam desafios na educação e no trabalho devido às suas dificuldades sociais e de comunicação. Elas podem ter dificuldade em se adaptar às rotinas e normas sociais da escola ou do ambiente de trabalho, o que pode levar a um sentimento de exclusão e isolamento.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode ter dificuldade em trabalhar em grupo, pois pode ser desafiador para ela compreender as nuances sociais e colaborar efetivamente. Essa dificuldade pode afetar seu desempenho acadêmico ou profissional e reduzir suas oportunidades de crescimento e desenvolvimento.

Isolamento social

Devido às dificuldades na interação social, pessoas com autismo leve podem se sentir isoladas e ter dificuldade em fazer amigos e estabelecer relacionamentos significativos. O isolamento social pode afetar negativamente a saúde mental e emocional da pessoa, levando a sentimentos de solidão, ansiedade e depressão.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode sentir-se excluída de grupos sociais ou ter dificuldade em manter amizades devido à falta de habilidades sociais. Esse isolamento pode ter um impacto significativo na qualidade de vida e no bem-estar geral.

Estratégias de suporte

Apesar dos desafios, existem várias estratégias de suporte que podem auxiliar pessoas com autismo leve a enfrentar suas dificuldades e aproveitar ao máximo suas habilidades:

Intervenção precoce

Uma intervenção precoce é fundamental para ajudar pessoas com autismo leve a desenvolver suas habilidades sociais e de comunicação. Quanto mais cedo o diagnóstico for feito, mais cedo a pessoa poderá receber apoio e orientação adequados.

Por exemplo, um programa de intervenção precoce pode se concentrar em ajudar a pessoa a compreender e interpretar as emoções dos outros, a fazer amigos e a se comunicar de forma clara e eficaz. Essas intervenções podem ser realizadas com profissionais da área da saúde, como psicólogos e terapeutas ocupacionais.

Terapia comportamental

A terapia comportamental pode ser uma excelente opção para pessoas com autismo leve. Ela pode ajudar a pessoa a desenvolver habilidades sociais, a lidar com comportamentos desafiadores e a aprender estratégias de autorregulação emocional.

Por exemplo, a terapia comportamental pode ensinar uma pessoa com autismo leve a reconhecer pistas sociais, como expressões faciais e linguagem corporal, e a responder de maneira adequada. Essas habilidades podem ser praticadas em situações do dia a dia, para promover uma maior autonomia e independência.

Apoio emocional

O apoio emocional é fundamental para pessoas com autismo leve. Isso pode incluir o acesso a grupos de apoio, terapeutas ou mesmo amigos e familiares compreensivos e empáticos.

Por exemplo, uma pessoa com autismo leve pode se beneficiar de conversas abertas e honestas sobre suas dificuldades e suas conquistas. Ter pessoas ao seu redor que a apoiem e a entendam pode fazer uma grande diferença em sua vida.

Em resumo, o autismo leve apresenta características específicas que podem trazer desafios significativos no dia a dia. No entanto, com o apoio adequado e estratégias de suporte, pessoas com autismo leve podem alcançar seu pleno potencial e desfrutar de uma vida plena e satisfatória.

É importante lembrar que cada pessoa com autismo leve é única e possui suas próprias necessidades e habilidades. Um guia como o “Caminhos do autismo” pode ser um recurso valioso para compreender e aprender a se relacionar melhor com indivíduos no espectro autista, proporcionando uma melhor qualidade de vida para todos.

Veja também